Governo intensifica combate ao mosquito Aedes aegypti

Dona Francinete Valentim recebe orientações da equipe do Programa da Dengue para evitar proliferação do Aedes. Foto: Francisco Campos

No período de chuvas, a população precisa ficar ainda mais atenta para evitar criadouros do mosquito Aedes aegypti, em decorrência da elevação dos focos por conta da água parada. O acúmulo do líquido, comum neste período, pode causar o surgimento de focos do mosquito, agente causador de três arboviroses: dengue, chikungunya e zika vírus. A forma mais eficaz para prevenir a proliferação é combatê-lo desde o processo de reprodução. Para isso, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) inicia as visitas domiciliares neste novo ano, reiterando o compromisso do Governo do Estado em dar respostas preventivas ao combate ao Aedes aegypti no Maranhão. 

Quatro equipes formadas por três agentes de endemias, totalizando doze profissionais, percorreram, na terça-feira (10), cerca de 100 residências, no bairro do Maiobão, em Paço do Lumiar. “Estamos entrando no período crítico no que se refere à proliferação do mosquito. O nível de chuvas elevado, temperaturas amenas e o período de férias podem favorecer um aumento dos criadouros do vetor, o Aedes aegypti. É muito importante que a população abra as portas de suas casas, receba a equipe de agentes do Programa Estadual da Dengue e redobre os cuidados”, explicou Joseneide Matos, coordenadora do Programa Estadual de Controle da Dengue, Zika e Chikungunya.

As visitas domiciliares são essenciais para o combate ao vetor. No contato constante com a população, os agentes de saúde desenvolvem ações com os moradores, relativas aos cuidados permanentes para evitar depósitos de água nas residências. “A população tem recebido muito bem as equipes, mostram todos os cômodos e relatam os cuidados que possuem para não deixar acumular água em recipientes. A receptividade é boa, graças à campanha intensa e constante do governo em conscientizar sobre a importância das visitas dos agentes”, afirmou Juraci Santos, que trabalha há cinco anos na área.

Maria Lira Sousa acompanha a inspeção dos agentes durante visita domiciliar. Foto: Francisco Campos

A dona de casa Maria Lira Sousa já teve dengue e sabe bem dos cuidados que precisa adotar para evitar a proliferação do Aedes. “Sei da importância da entrada do agente na minha casa para combater possíveis criadouros e a atenção não pode cessar, tenho que fazer faxina todo sábado, porque meu quintal é grande e tenho muitas plantas”, disse a moradora.

O agente de saúde, Ângelo Abenante, esclarece que, em mais de 80% dos casos, o foco do mosquito está dentro das residências. “Durante as visitas orientamos os moradores a realizarem a checagem toda semana e não deixar que o mosquito se multiplique. Ele leva de 7 a 10 dias para passar do ovo à fase adulta. Por isso, o ideal é que cada um faça sua parte e se junte nessa luta contra a doença”, explicou.

Francinete Valentim, de 54 anos, há oito meses teve Chikungunya e aboliu o cultivo de plantas que acumulem água e passou a realizar continuamente a limpeza dos ralos e tanque. “Até hoje ainda sinto dores nas articulações e quero continuar com as medidas preventivas para que não haja mais criadouro de mosquito na minha casa”, afirmou.

 

Ações de combate ao Aedes: 

-Brigada contra Aedes (treinamento de servidores para realizar inspeções em prédios públicos);

-Capacitação de profissionais para ampliação do LIRAa  em 20 municípios;

-Sensibilização nas escolas com informações e cuidados com o Aedes com alunos e professores;

-Carro Fumacê;

-Treinamento de militares.

 

Como evitar criadouros do Aedes em casas e apartamentos?

-Tampe os tonéis e caixas d’água;

-Mantenha as calhas sempre limpas;

-Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;

-Mantenha lixeiras bem tampadas;

-Deixe ralos limpos e com aplicação de tela;

-Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;

-Lave com escova ou bucha os potes de água para animais;

-Retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa.

 

Como evitar criadouros do Aedes na área externa de casas e condomínios:

-Cubra e realize manutenção periódica de áreas de piscinas e de hidromassagem;

-Limpe ralos e canaletas externas;

-Atenção com bromélia, babosa e outras plantas que podem acumular água;

-Deixe lonas usadas para cobrir objetos esticadas;

-Verifique instalações de salão de festas, banheiros e copa.

Equipe do Programa Estadual da Dengue vistoria imóveis no Maiobão. Foto: Francisco Campos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *