Férias é tempo de brincar com pets sem descuidar da saúde dos animais

É janeiro, chegou o mês das tão sonhadas férias! É o momento de relaxar, passear ou simplesmente aproveitar o tempo livre para ficar em casa curtindo a família. Crianças, jovens e adultos que têm bicho de estimação contam com uma companhia a mais para os momentos de lazer. Hoje em dia, os animais são tratados como membros da família, recebendo cuidados com a saúde, alimentação e aparência. O convívio das crianças com pets desenvolve o senso de responsabilidade relacionada à alimentação e higiene, além de trabalhar diversos sentimentos como autoestima, alegria, tristeza, frustração e compreensão.

O chefe do Departamento de Zoonoses da SES, Daniel Saraiva, alerta para os cuidados com os animais domésticos. Foto: Francisco Campos

O chefe do Departamento de Controle de Zoonoses da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Daniel Saraiva, afirma que o contato das crianças ou adultos com animais estimula a socialização. “Ter um animal de estimação não é apenas colocá-lo dentro de casa, é preciso cuidar com atenção dele, até porque a ausência de atenção com a saúde do animal pode provocar a transmissão de sérias doenças. Criar um bichinho não é sinônimo de abandono, e sim de alegria, acompanhada de cuidados constantes. Quem tem bicho de estimação sempre tem assunto com as pessoas que também usufruem da companhia de um animal”, esclarece.

A servidora pública Alessandra Barbalho, de 32 anos, estimula o convívio da filha única com Pigo, o gato da família. “Maria Clara tem um ano e meio e, desde que nasceu, tem contato com meu gato de estimação. Ele é o irmão que ela não tem, o trata como membro da família e sei que a imunidade dela às doenças respiratórias será forte por esse convívio com o animal”, comenta.

Maria Clara brinca na companhia do gato de estimação. Foto: Divulgação

A relação com os pets hoje em dia é mais humanizada e amorosa. Por conta da mudança, requer atenção redobrada, o que exige do dono a periodicidade de levar o animal ao veterinário para avaliação da saúde, aplicação de vacinas e vermífugos. Os especialistas indicam que o animal deve ser levado regularmente ao médico veterinário para avaliação de sua saúde, assim como aplicação de vermífugos e vacinas, conforme o animal. Deve haver, ainda, um cuidado com a limpeza do animal e descarte adequado das fezes e urinas, além de ser oferecida uma alimentação de qualidade, nesse sentido as rações são sempre a melhor opção.

 

 

Vacinação antirrábica

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), promove, anualmente, a campanha de vacinação antirrábica para cães e gatos no Maranhão. Em 2016, mais de um milhão de cães e gatos foram vacinados no estado. “A Raiva é uma doença grave e pode facilmente chegar ao ser humano sendo fatal. Por isso, a Secretaria de Estado da Saúde trabalha constantemente a importância de todos os municípios participarem diretamente desta campanha. Em 2016, tivemos êxito, com vacinação ampla e o engajamento das famílias levando o seu animal para vacinação”, ressalta o chefe do Departamento de Controle de Zoonoses da SES, Daniel Saraiva.